Povos de Terreiro


O contato como os Povos de Terreiro do Munic√≠pio de Lages inicia no ano de 2011 a partir da execu√ß√£o do Projeto ‚ÄúQue Terreiro √© Esse! Constru√ß√£o do Ambiente Cultural em Rede dos Praticantes de Manifesta√ß√Ķes Religiosas de Matriz Africana e Ind√≠gena na Regi√£o Serrana de Santa Catarina‚ÄĚ, do pesquisador Gilson Maximo de Oliveira. A iniciativa mapeou terreiros, casas e tendas que praticam Umbanda, Quimbanda, Batuque e Candombl√©, registrou o trabalho em audiovisual e gerou uma compila√ß√£o de dados que pretende publicar em formato de cartilha.

 

Os Povos de Terreiro trabalham por meio constitui√ß√£o de uma identidade cultural e religiosa centrados em 03 aspectos principais: as experi√™ncias na inf√Ęncia, o pertencimento a uma fam√≠lia de santo, e as pr√°ticas da religiosidade que geram religi√£o. A Matakiterani pesquisa e gera produtos que registram tais praticam no que tange as suas caracter√≠sticas culturais para que sirvam de suporte pedag√≥gico e de elabora√ß√£o de uma narrativa da hist√≥ria desses povos a partir do seu ponto de vista. O desafio √© transformar os dados de pesquisa em produtos e prover o acesso aos jovens no ambiente escolar, no contexto da lei 10.639 que institui obrigatoriedade do ensino da Hist√≥ria da √Āfrica e dos africanos, no curr√≠culo oficial das redes p√ļblicas e privadas, e da lei 11.645, e que torna obrigat√≥rio o Ensino da Hist√≥ria e Cultura Ind√≠gena no curr√≠culo das redes p√ļblica e privadas de ensino, respectivamente.