Entrevista com Mãe Lela de Ogum


64491_129487493893699_872568538_nQue terreiro é esse esteve conversando na última semana com a mãe Lela de Ogum que tem sua casa aberta para atendimento no bairro da várzea na Avenida Antônio Ribeiro dos Santos. Lela trabalha com a Umbanda e Quimbanda desde os 10 anos. A partir dos 14 anos já estava atendendo pessoas que necessitavam de auxilio, quando completou seus dezoito anos após o falecimento do pai biológico, “firmou o passo” como diz ela e se dedicou exclusivamente as manifestações afro brasileiras/Indígenas e africanas (nação). Aos 22 anos ampliou sua caminhada religiosa fez sua iniciação na Nação africana Oyó e desde 2007 é “pronta” (linguagem dos povos de terreiro) que cultuam os Orixás, exemplificando, Iemanjá na nação africana, ou seja, Nossa Senhora dos Navegantes para os católicos. A casa Religiosa denominada Templo Religioso Oyó Africano Reino de Ogum (São Jorge) tem em sua bandeira, em torno de 20 filhos, alguns no Santo (nação) outros na Umbanda e Quimbanda. São 3 seguimentos diferenciados, isto significa que quem adere a um segmento não necessariamente tenha que participar de todos. Ressaltando que a maioria dos espaços de devoção conhecidos pelo projeto, ainda opta pelos três citados, cultuados na casa da mãe Lela, lembrando que existe outros direcionamento como o Xamanismo que foi uma das casas visitadas e divulgadas do Pai Edson Perotoni do bairro Santa Rita. Visite: https://www.facebook.com/QueTerreiroEEsse?ref=hl

Comente