Sacr√°rios Abertos; Reconhecimento e identifica√ß√£o das ‚ÄúRecomenda√ß√£o de Almas‚ÄĚ do Estado de Santa Catarina


/Uma incelência minha Virgem do Rosário/
/Do fruto e do ventre se fez o sacr√°rio/
/Sacr√°rios abertos, saiu o Senhor fora/
/Recomendando as alma, mandando pela Glória/
APRESENTAÇÃO:
De assim se desenrola a Recomenda, uma prociss√£o, uma obriga√ß√£o, um ato de f√©. Os rezadores, a comunidade e o Capel√£o se re√ļnem, e consigo suas mem√≥rias. Podemos afirmar que o ritual da Recomenda√ß√£o das Almas apresenta-se como espa√ßo para espiritualidade, mas tamb√©m como espa√ßo para o lazer, para estabelecer novos la√ßos de sociabilidade e solidariedade ou fortalecer os j√° existentes, refor√ßo dos valores hier√°rquicos e de g√™nero e at√© formas de ostenta√ß√£o. √Č espa√ßo, tamb√©m, para contato com almas de parentes e conhecidos, estabelecimento de alian√ßas com festas, com santos, entre eles, o Monge ‚ÄúS√£o‚ÄĚ Jo√£o Maria e com Deus. Este contato ocorre sob o controle do ritual, mas √© possibilitado pela intermedia√ß√£o das lideran√ßas laicas, que possuem o conhecimento necess√°rio para tal. Ela acontece apenas no per√≠odo na ‚ÄúCoresma‚ÄĚ, nas quartas e sextas-feiras, em especial na Semana Santa, √© sugerida, organizada e executada pelas comunidades que det√©m esse saber, sem participa√ß√£o de figura religiosa oficial. No entanto, por vezes a Recomenda de Almas n√£o sai, e a justificativa para a n√£o realiza√ß√£o do ritual nunca est√° na vontade dos sujeitos, mas na falta do Capel√£o ou de algu√©m que se sinta capacitado para coordenar o ritual.
Nesse contexto ela carece do reencontro de seus fazedores nos espaços simbólico e social; e a constituição de uma estratégia para sua conservação e criação de pontes com o futuro.
MISSÃO:
 
Identificar e Reconhecer através da construção de uma estratégia para conservação e criação de pontes com o futuro dos praticantes e grupos de Recomendadores de Alma do Estado de Santa Catarina.
 
ABRANGÊNCIA:
 
Grupos de Recomendares de Alma, Mestres Rezadores, Curandeiros, Benzedores e Benzedeiras e outros Sábios da Cultura, envolvidos de alguma maneira com a prática da Recomendação das Almas no Estado de Santa Catarina, nas seguintes cidades e comunidades:
a) São José do Cerrito:
Grupo de Recomendadores do Car√ļ – Centro da cidade.
Grupo de Recomendadores da Toca da Onça РComunidade Toca da Onça
b) Campo Belo do Sul:
Grupo de Recomendadores e praticantes da Oração dos 25 de março РComunidades do Morro Agudo e Morro do Chapéu.
c) Taquaruçu:
Grupo de Recomendadores Renascença Cabocla. Comunidade de Taquaruçu
d) Ponte Alta do Sul:
Grupo de Recomendadores do assentamento de Sem Terras. Assentamento Terra Livre
e) Rio Rufino:
Grupo de Recomendadores Canto dos Morenos ‚Äď Comunidade do Esp√≠rito Santo
f) José Boiteux:
Grupo de Recomendadores Comunidades Cafuza – Comunidade Cafuza
g) Lages:
Grupo de Recomendadores Família do Tio Luis РBairro Caroba
PRIMEIROS CONTATOS:
O contato com os grupos de Recomendadores de Alma ocorreu em diferentes n√≠veis de intera√ß√£o, de acordo com a intimidade que havia entre as partes envolvidas. T√≠nhamos pelo menos tr√™s tipos de situa√ß√£o: grupos de contato pessoal, grupos de contato telef√īnico e grupos desconhecidos. Em todos os casos o principal meio de comunica√ß√£o foi o telefone.
Nos grupos de contato pessoal havia maior facilidade de aproximação, uma vez que já havíamos visitado essas comunidades antes da realização do projeto e um simples telefonema era suficiente para o agendamento de visita e a apresentação do projeto.
Nos grupos de contato telef√īnico, encontramos uma dificuldade natural em termos de credibilidade, ou seja, que os grupos acreditassem que a proposta era s√©ria e comprometida com suas pr√°ticas culturais. Como forma de contornar essa desconfian√ßa, cada contato telef√īnico era precedido do an√ļncio da fonte da informa√ß√£o, fonte essa que gozava de credibilidade e confian√ßa junto √†s comunidades.
Os grupos desconhecidos foram identificados em visitas aos grupos conhecidos, e at√© mesmo anunciados nos contatos telef√īnicos para agendamento das visitas. A constata√ß√£o que havia mais praticantes da recomenda do que inicialmente hav√≠amos previsto no projeto n√£o chega a surpreender dado o status marginal que essa pr√°tica possui no estado, pelo contr√°rio, corrobora a tese de que a identifica√ß√£o e o reconhecimento social dessas pessoas pode ser a chave da continuidade dessa tradi√ß√£o popular.
Finalizada a fase de agendamento de visitas, chegou o momento de estar em campo encontrando os grupos no seu lugar de origem, as comunidades a qual eles pertencem.
O ENCONTRO COM OS GRUPOS:
O encontro presencial com os grupos se deu no per√≠odo Quaresma, momento que a Recomenda √© realizado e reune seus praticantes, o objetivo foi visitar o maior numero de Grupos de Recomenda, focado no registro de √°udio, no intuito de perceber como cada grupo entoa as ora√ß√Ķes cantadas. Tamb√©m obtivemos belas surpresas ao entrar em contato com ritual da recomenda onde compartilharemos nos relatos abaixo transcritos:
 
Origens da Recomenda:
(Extraído do relato de campo De Adilson Freitas, Campo Belo do Sul dia 19/03/2010)
 
 
Conta Seu Nino, que um homi saiu cá muié do irmão, e caíram no desfrute, esse homi se arrependeu, então resolveu se confessar com o Monge São João Maria que andava pela aquela região em peregrinação.
E assim ele fez, contou seu o pecado e seu arrependimento e o Monge Jo√£o Maria falou:
– Que praquele pecado n√£o havia perd√£o, mas que ele sa√≠sse na Coresma, nas quarta e nas sexta e principalmente na Sexta Feira maior a Sexta da Paix√£o, Recomend√° Alma, e fizesse isso, durante sete anos seguidos, e assim quem sabe na hora de sua morte o seu fardo fosse aliviado. O homi cumpriu os sete anos, quando morreu n√£o se sabe se recebeu o perd√£o, pois quem morre n√£o volta pra conta, mas que at√© hoje se faz Recomenda isso se faz, ela √© penit√™ncia…
O Sentido da Recomenda:
(Extraído do relato de campo de Adilson Freitas, Rio Rufino 07/03/2010)

Ao chegar l√° fomos surpreendidos, o motivo foi o falecimento de uma pessoa da comunidade dos Moreno, uma das mais antiga conhecida popularmente como ‚ÄúTia Tonha‚ÄĚ, segundo populares era a m√£e de todos, ela fazia parte do grupo de Recomendadores e simbolicamente √© a Recomenda que vai se (urtimando) ultimando. Perante essa circunst√Ęncia vivenciamos outra forma de Recomenda, ainda n√£o presenciada, aquela realizada com o morto presente. O encontro de ora√ß√£o parou para missa de corpo presente, onde se viu a mescla ou sincretismo entre a Recomenda e a Igreja Institucional.
Importante observa√ß√£o foi a incorpora√ß√£o do canto dos Moreno com os ritos do Catolicismo Institucional, exemplo disso foi o momento que o padre pediu para os Morenos cantassem para Tia Tonha. Foram duas ora√ß√Ķes entoadas na missa de corpo presente. O momento mais emocionante foi da despedida, eles cantaram propiciando a mim outra vis√£o sobre o pr√≥prio rito, e o entendimento da Recomenda√ß√£o das Almas como ato de despedir-se do morto cantando √† vida.
Sendo assim, poder√≠amos poetizar essa experi√™ncia dizendo que o sentido e a vida da recomenda √© a morte. Talvez para Tia Tonha a Recomenda se ‚Äúurtim√ī‚ÄĚ, mas para aqueles conhecidos dela, companheiros de recomenda, ela voltou a ter sentido. Mais uma vez com emo√ß√£o, agrade√ßo a experi√™ncia ao meu padrinho e nosso Monge Jo√£o Maria D‚ÄôAgostinho Jord√£o nos alumie….
Espaço de prosa e descoberta;
(Extraído do relato de campo de Kellen Demeneck, São José Cerrito, 02/04/2010)
Assim que chegamos seu Tatão disse vá lá dentro e fique com as mulheres! Assistimos TV e logo começamos a comer milho verde, uma delícia, e pinhão cozido.
Durante esse tempo na cozinha a mulher do seu Tat√£o disse: que ela gostaria de ir e que seu Tat√£o disse que levava ela, mas que depois que a filha havia falecido em acidente de tr√Ęnsito n√£o tinha mais vontade de sair de casa.
Quando estávamos saindo ainda perguntei: Vamos? Mas ela disse ano que vem tem que cuidar da velhinha. E saímos para Recomenda.
A Tradição que se afirma:
(Extraído do relato de campo de Adilson Freitas, 31/03/2010)
A Recomenda foi puxada pelo grupo de Recomendadores de Taquaru√ßu que se denomina Renascen√ßa Cabocla, isto se d√° pelos integrantes se considerarem caboclos, filhos da Guerra do Contestado. Sobre o grupo a surpresa foi ver a vivacidade, aglutinando diferentes idades e gera√ß√Ķes, todos preocupados com continuidade do rito.
Outra surpresa foi ver que o Capel√£o ou respons√°vel maior, lideran√ßa do grupo, era uma mulher, Dona Alzira, que comp√īs o terno de rezadores com sua filha e sua neta reunindo tr√™s gera√ß√Ķes.
Ela comentou que o grupo deles √© bom, por√©m seria muito bom se cantasse com mais vozes masculinas, porque assim ela n√£o teria que fazer tanto esfor√ßo. Concluiu dizendo que ‚Äúfica mais bonito, quando se tem voz masculina fica mais forte‚ÄĚ.
Vamos se despedindo da Coresma at√© o ano que vem…
(Extraído do relato de Gilson de Máximo, 02/04/2010)
Ao terminar a Recomenda vi um gesto novo iniciado pelo André, filho da falecido Seu Picão, o Capelão de Campo Belo do Sul: cada um que recomendou almas foi orientado a deixar uma cruz aos pés da igreja, feita de graveto, grama, qualquer coisa, e assim todos fizemos e indo embora com a certeza do dever cumprido.
Um traço marcante nessa recomenda do Campo Belo foi seu caráter penitencial. Vários fazedores usaram esse termo e enxergavam o rito dessa maneira, uma penitência pela remissão dos pecados numa espécie de confissão coletiva, onde os silêncios entre as rezas se faziam ouvir nos gestos daqueles homens simples e cheio de fé, que na rudeza de seu rito renovavam sua crença numa vida melhor.
 REALIZA√á√ēES:
 
Reconhecimento e Autoconhecimento da Recomendação das Almas:
 
1. 08 Grupos de Recomendação das Almas reconhecidos, por meio de relatos de campo, áudios e vídeos;
2. 07 Grupos de Recomendação das Almas visitados durante a Quaresma;
3. 03 Grupos de Recomendação das Almas antes desconhecidos, hoje identificados;
4. Início da formação da rede de Grupos de Recomendação das Almas: 07 autoconhecimentos: Grupos de Recomendação das Almas que não sabiam da existência dos demais.
Cria√ß√£o de condi√ß√Ķes e espa√ßos de frui√ß√£o da Recomenda√ß√£o das Almas:
1. Espaços virtuais: blog sobre o projeto como repositório de imagem, áudio e vídeo da prática;
2. Perspectiva de retorno as comunidades, focado na entrevista formal e repetição de partes do ritual;
Solidificação da pesquisa de Recomendação das Almas:
1. 08 Grupos de Recomendação das Almas identificados e reconhecidos;
2. 07 Registros em áudio dos Grupos de Recomendação das Almas;
3. 07 Visitas em campo a Grupos de Recomendação das Almas.
 

Deixe um coment√°rio

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *